gerlusalr

Coloco as palavras no papel como quem borda em ponto cruz.
Formo, aos poucos, bordados antigos, feitos com técnicas minimalistas.
Crio imagens em panos brancos.
Escrevo para o meu olhar, para o meu sentimento.
Escrevo para a minha imaginação e pensamento…
Não pretendo te agradar.
Não busco seguidores.
Não vou te inspirar, nem te ensinar a viver.
Escrevo porque leio e leio-te.
Escrevo porque a vida me pede para sair…
Bordo palavras no papel e na tela do teu computador
Porque quero te marcar com as marcas que deixaste em mim.

Por que Agridoce?

Às vezes sou ácida, às vezes sou doce;
Na maioria das vezes, agridoce.
Escrevo sobre mim, mas também posso escrever sobre ti
Ou, até mesmo, sobre o que eu escrevo (metapoemas).
A tela é branca, o mistério é meu e a decisão é toda tua!


Seja bem-vindo (a)!

Beijo,
G.