Stenka Razin

Se Sócrates me perguntasse quem sou eu, eu responderia que sou um sonhador com joelhos prostrados ao solo, cheio de discursos indiretos vivendo entre o amor e a putaria. Sou um pouco de todos os teóricos que li e na esperança de que nem eles se tornaram grandes, tenho a pretensão de ser o nada que me resta. Eu não sei o que é real. E se um dia eu chegar a ser, reescreverei esta biografia.